Blog

DIU de cobre. Dá para colocar sem sentir dor?

Diu de cobre

A resposta para essa pergunta é sim, é possível colocar o DIU de Cobre sem sentir dor, assim como o DIU Mirena e o DIU Kyleena.

 

Neste texto vou explicar diversos conceitos sobre o DIU de cobre, como o mecanismo de ação, eficácia, modelos de DIU, cuidados que antecedem a colocação, como é a anestesia para colocar o DIU, como saber se está bem inserido e quais as possíveis complicações.

 

O uso do DIU aumentou nos últimos anos. Nos Estados Unidos em 2002, cerca de 2% das mulheres eram usuárias de DIU, enquanto no período entre 2011 e 2013, observou-se um aumento para 10,3%.

 

No Brasil, a utilização de DIUs, incluindo multíparas e nulíparas, permanece com taxa próxima a 3%.

Mecanismo de ação do DIU de cobre.

Todos os tipos de DIU fazem o organismo produzir uma reação de corpo estranho dentro do útero, tornando o endométrio mais hostil para o espermatozoide, além de dificultar a implantação do embrião, caso a fecundação tenha acontecido.

 

Outro mecanismo de ação é pela presença do cobre no dispositivo intrauterino. O DIU de cobre libera íons continuamente na cavidade uterina, tornando o ambiente ainda mais inóspito para o espermatozoide.

Eficácia do DIU de cobre

O DIU é um método contraceptivo muito seguro, principalmente porque não depende da paciente.

 

A taxa de falha para o do DIU de cobre modelo T380 é entre 0,4 e 0,8%.

 

Pílulas anticoncepcionais e camisinha são eficazes quando usados corretamente, mas quando se olha a população como um todo, como o uso pode ser inadequado, as taxas de falhas para estes métodos giram ao redor de 8%.

 

Existem pequenas variações na eficácia, de acordo com o modelo escolhido, sendo que quanto maior a quantidade de cobre, maior a eficácia do DIU.

 

diu

 

Modelos de DIU de cobre

Os principais modelos são:

  • T380
  • Mini 375
  • Silverflex

 

O DIU T380 é o modelo mais utilizado no Brasil e apresenta validade de 10 anos. DIU significa dispositivo intrauterino e a letra T faz referência à forma do DIU, semelhante a letra, enquanto o número 380, refere-se à quantidade de cobre presente neste modelo.

 

O DIU mini 375 apresenta tamanho reduzido, sendo ideal para ser colocado em mulheres com úteros pequenos, como frequentemente acontece em mulheres que nunca tiveram filhos e tem durabilidade de 5 anos.

 

DIU Silverflex é um modelo de DIU em formato de T, que contém cobre e prata na sua composição. A prata serve para deixar o cobre mais estável e possui prazo de validade de 5 anos.

O que é DIU hormonal e quais existem no Brasil

Existem alguns modelos de DIU que liberam hormônios, como o Mirena e o Kyleena. Estes dispositivos são chamados também de sistemas intrauterinos (SIU) liberadores de levonorgestrel e, por isso, a sigla SIU-LNG.

 

O DIU hormonal são dispositivos colocados no interior do útero, que liberam uma pequena quantidade de progesterona continuamente. No mundo existem diversos modelos, com tamanhos e doses diferentes.

 

No Brasil, existem dois tipos de DIU hormonal, o Kyleena e o Mirena. Ambos apresentam uma duração de 5 anos no organismo.

 

O Kyleena libera menos hormônio e é menor que o Mirena sem, no entanto, apresentar menor eficácia, ideal para ser colocado em úteros pequenos.

 

A eficácia do DIU hormonal é maior que o DIU de cobre, com taxa de falha de apenas 0,2%.

 

diu

Cuidados antes da colocação do DIU

Antes de colocar qualquer DIU a mulher deve receber orientações sobre os diferentes métodos contraceptivos, incluindo vantagens e desvantagens, pois nenhum método oferece 100% de proteção contra a gravidez.

 

Alguns exames devem ser realizados antes da colocação, como o Papanicolau, além do exame físico para descartar infecções vaginais e um ultrassom transvaginal, para saber se o útero é normal.

 

No meu consultório costumo realizar o ultrassom transvaginal antes de colocar o DIU, para fazer as medidas do comprimento e largura do interior do útero (local de inserção do DIU). Estas medidas habitualmente não são feitas nos exames de rotina nos laboratórios.

 

Quando as medidas do interior do útero são pequenas, discuto com a paciente colocar os modelos desenvolvidos especificamente para esta situação, como o DIU Kyleena e o Mini375.

Como colocar o DIU sem sentir dor

Existem diversas maneiras para diminuir o desconforto gerado para a inserção do DIU.

 

No consultório realizo duas anestesias diferentes para a inserção do DIU, a primeira com um creme anestésico tópico e a segunda com um bloqueio do colo uterino.

 

Segundo uma publicação científica recente, esta é a forma mais eficiente na redução da dor na inserção do dispositivo intrauterino. Link nas referências.

 

Para pacientes muito sensíveis a dor, pode-se utilizar ainda anti-inflamatórios antes do procedimento, mas em geral não são muito eficientes.

 

A melhor alternativa para quem não quer sentir dor é realizar em ambiente hospitalar com sedação. Em 5 minutos o procedimento é realizado.

 

A desvantagem é o tempo necessário para a internação e alta, realizados no mesmo dia, além do preço para a inserção do DIU ser maior.

 

diu

Vantagens do DIU

  • Apresentam um dos menores índices de falhas de todos os contraceptivos;
  • Não dependem da mulher para que funcione;
  • O DIU é um bom método para adolescentes que costumam usar a pílula de maneira errática.
  • Retorno imediato da fertilidade ao retirar o DIU;
  • Pode ser usado durante a amamentação;
  • Pode ser utilizado para mulheres com alto risco para trombose, diferentemente das pílulas anticoncepcionais.
  • O DIU hormonal pode ser utilizado para mulheres na menopausa em uso de terapia de reposição hormonal;
  • O DIU hormonal pode ser utilizado no tratamento da endometriose e adenomiose.

Desvantagens do DIU

  • A colocação e remoção de qualquer DIU gera apreensão e desconforto;
  • O DIU de cobre pode aumentar a cólica e o sangramento;
  • Embora raro, pode acontecer uma perfuração do útero;
  • O DIU pode ser expulso ou se deslocar, necessitando de controle médico;

 

Não protege contra infecções sexualmente transmissíveis (DSTs), como por exemplo o HIV (AIDS), sífilis e o HPV.

Contraindicações

  • Gravidez;
  • Corrimento vaginal no dia da inserção;
  • Infecção aguda no útero ou trompas;
  • Sangramento vaginal de causa desconhecida;
  • Infecção pós-parto ou aborto infectado nos últimos 3 meses;
  • Tumor maligno no colo do útero;

DIU engorda?

Existe um mito de que o DIU engorda. O DIU de cobre não influencia em nada o nosso metabolismo e, portanto, não determina aumento de peso.

 

O DIU hormonal libera uma quantidade diária muito pequena de progesterona, fazendo com que os efeitos sistêmicos sejam mínimos.

 

Outro fator é o tipo de progesterona presente no Mirena e no Kyleena. O levonorgestrel não determina retenção hídrica, por isso, geralmente não faz a mulher engordar.

 

A progesterona presente nas injeções trimestrais, por outro lado, pode fazer a mulher engordar.

 

Levenorgestrel

Controle do DIU

No consultório, logo após a inserção do DIU, realizo imediatamente o ultrassom transvaginal para assegurar que o DIU foi bem colocado.

 

O momento mais comum para o deslocamento do DIU é após a primeira menstruação, motivo pelo qual eu peço para a paciente retornar ao consultório para um novo exame de ultrassonografia, sem custos.

 

Quando se coloca o DIU, o médico deve cortar o fio distando 1,5 cm do colo uterino.

 

Em todas as consultas deve-se encontrar o fio e avaliar se a distância continua a mesma, especialmente em situações que o ultrassom não está disponível, como na rede pública.

 

ultrassom transvaginal é considerado a melhor maneira de avaliar se o DIU está no lugar correto e pode ser utilizado para o acompanhamento.

 

Caso o DIU não esteja corretamente posicionado, é possível arrumar o DIU com uma pinça no próprio consultório, por histeroscopia em um hospital, ou retirar o DIU e colocar outro.

Complicações do DIU

As complicações do DIU são a perfuração do útero e a gestação indesejada.

 

A perfuração acontece em cerca de 1 a cada 1000 vezes. Quando parcial deve-se retirar o DIU no próprio consultório se possível e geralmente não traz prejuízo a mulher.

 

Quando a perfuração é completa e o DIU fica dentro da barriga, deve-se realizar uma laparoscopia para a retirada.

DIU e Gravidez

Quando acontece a gestação durante o uso do DIU o risco de abortamento é em torno de 50%, caso o DIU seja deixado no útero.

 

Quando o DIU é retirado a chance de abortamento cai para 30%, motivo pelo qual recomenda-se a retirada, que deve ser realizada até a 12º semana.

DIU e Infertilidade

O DIU não causa infertilidade. Pacientes que fazem uso de DIU de cobre ou DIU hormonal têm sua fertilidade de volta assim que o dispositivo é retirado.

Qual a melhor época para a colocação

A melhor época para a inserção e remoção do DIU é nos primeiros dias do ciclo menstrual, idealmente com a mulher menstruando, pois o colo uterino está mais aberto neste período.

 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre DIU, agende uma consulta com o Dr. Fernando Guastella e tire suas dúvidas.

 

                                                       kyleena

 

Médico ginecologista especialista em DIU

 

Você sabe o que é ginecologia integrativa?

Referências bibliográficas

  1. Avaliação de diferentes medicamentos para redução da dor durante a inserção de dispositivos intrauterinos: uma revisão sistemática e uma metanálise. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30611553/;
  2. Aplicação de lidocaína uterina ou paracervical para controle da dor durante a inserção de dispositivos intrauterinos: uma metanálise de ensaios clínicos randomizados. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29792756/;
  3. Estratégias para melhorar a aceitabilidade e aceitação do dispositivo intrauterino de cobre. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22419340/
  4. Sistemas intra-uterinos liberadores de levonorgestrel como contraceptivos femininos. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29637798/
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

2 Comentários “DIU de cobre. Dá para colocar sem sentir dor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *