fbpx

Blog

Histeroscopia diagnóstica e cirúrgica

Ginecologista especialista em Histeroscopia cirurgica

Este texto explica o que é histeroscopia diagnóstica e cirúrgica, indicações, anestesia, como é o procedimento e recuperação.

O que é Histeroscopia?

Histeroscopia é um procedimento minimamente invasivo em que se coloca uma câmera através do colo uterino, para a avaliação do interior do útero.

 

Durante o procedimento é possível a realização de biópsias e tratamento de diversas doenças endometriais, como pólipos endometriais e miomas submucosos.

Indicações para histeroscopia

  • Biópsia endometrial;
  • Investigação de infertilidade;
  • Avaliação de espessamento endometrial;
  • Investigação do sangramento na menopausa;
  • Retirada de pólipo endometrial e mioma submucoso;
  • Realização de ablação endometrial;
  • Retirada e colocação de DIU;
  • Tratamento de istmocele;
  • Correção de aderências intrauterinas (sinéquia);
  • Correção de malformações uterinas, como por exemplo o útero septado.

Qual a diferença entre histeroscopia diagnóstica e cirúrgica?

A histeroscopia diagnóstica utiliza uma câmera mais fina e, por este motivo, pode ser realizada de forma ambulatorial.

 

Na histeroscopia cirúrgica utiliza-se uma câmera mais grossa e, por este motivo, é necessária a dilatação do colo uterino, sendo obrigatória a realização de anestesia.

Histeroscopia diagnóstica

A diferença da histeroscopia diagnóstica para cirúrgica é que na maior parte das vezes ela é realizada de forma ambulatorial e sem anestesia, pois o desconforto geralmente é leve. Porém, é importante destacar, que o procedimento também pode ser realizado sob anestesia.

 

O médico deve sempre oferecer a possibilidade da anestesia, pois algumas mulheres podem sentir dor de grande intensidade.

 

Procedimentos que podem ser realizados na histeroscopia diagnóstica.

  • Avaliação diagnóstica da cavidade uterina com ou sem biópsia, para diagnóstico de atrofia, pólipo, mioma, hiperplasia de endométrio e câncer de endométrio);
  • Investigação de infertilidade;
  • Tratamento de pequenos pólipos endometriais;
  • Correção de pequenas sinequias.

Histeroscopia cirúrgica

A histeroscopia cirúrgica é indicada para o tratamento de doenças endometriais, identificadas por meio da histeroscopia diagnóstica ou do ultrassom transvaginal.

 

Todos os procedimentos realizados na histeroscopia diagnóstica também podem ser realizados na histeroscopia cirúrgica, além de outros tratamentos de maior complexidade.

Como é o preparo para o Histeroscopia cirúrgica?

Jejum de 8 horas para alimentos e 4 horas para água.

 

Algumas vezes se indica medicações para suprimir a menstruação, facilitando o exame.

 

Na maior parte das situações, recomentamos realizar o procedimento entre o sexto e décimo segundo dia do ciclo menstrual, mas na investigação da infertilidade, algumas vezes indicamos a realização do procedimento no período pós-ovulatório.

 

Mulheres com sangramento contínuo e na hipótese de câncer de endométrio, fazer o exame independentemente de sangramento.

Como é realizada a histeroscopia cirúrgica?

Paciente em posição ginecológica sob anestesia.

 

Passagem do espéculo vaginal e dilatação do colo uterino.

 

Posicionamento da câmera no interior do útero para realização do tratamento indicado.

 

Todo o procedimento é realizado por dentro da vagina e do útero. Desta forma, não é necessário realizar corte na barriga e não há cicatrizes.

Quanto tempo leva a cirurgia?

A duração da cirurgia na maior parte das vezes é menor que uma hora, mas algumas vezes pode demorar um pouco mais.

Como é a recuperação

A recuperação é imediata. A alta hospitalar acontece no mesmo dia da cirurgia, duas a três horas após o término do procedimento.

 

A dor pós-operatória é leve ou ausente, pois são prescritas medicações para dor.

 

Geralmente a paciente fica sangrando por alguns dias, de forma semelhante a uma menstruação.

Complicações

As complicações são muito raras e geralmente acontecem com profissionais de menor experiência.

 

É possível a ocorrência de trombose, perfuração uterina, lesão na bexiga ou intestino e intoxicação hídrica, causada pela infusão de muito soro fisiológico durante a realização da histeroscopia.

O ciclo menstrual pode ser alterado após a Histeroscopia Cirúrgica?

Sim, dependendo do procedimento que foi realizado.

 

Quando a indicação da histeroscopia é a ablação endometrial, a maior parte das mulheres não menstruam após o procedimento.

 

No caso de correção de sinequias, o fluxo uterino pode voltar ao normal.

Quantos dias para voltar a ter relação sexual?

Na maior parte das situações recomendado aguardar entre 7 e 14 dias, mas isto pode variar de acordo com o procedimento realizado.

Onde realizar a Histeroscopia cirúrgica em São Paulo (SP)?

Dê preferência para a realização da cirurgia em hospitais.

 

Converse com o seu ginecologista e escolha os hospitais que disponibilizam os melhores materiais. Existe diferença de qualidade entre os materiais para a histeroscopia.

 

Para as minhas pacientes, realizo a histeroscopia cirúrgica em todos os principais e melhores hospitais de São Paulo.

 

Ginecologista especialista em Histeroscopia cirurgica

 

Agora que você já sabe um pouco sobre histeroscopia, conheça o Dr. Fernando Guastella e agende uma consulta.

                                                       kyleena

 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *