Blog

Ovários policísticos: sintomas, diagnóstico e tratamento

Ovários Policísticos

Este texto explica o que é ovário policístico e como diferenciar da síndrome dos ovários policísticos, além dos sintomas, critérios diagnósticos atuais e tratamentos.

O que é ovário policístico

Ovários Policísticos

Os cistos descritos na ultrassonografia na verdade são óvulos em estágio inicial de desenvolvimento, envolvidos por líquido, formando pequenos cistos, que medem entre 2 e 9 mm, chamados de folículos antrais.

 

Portanto, o ovário policístico é a característica de um ovário que apresenta muitos folículos, ou seja, um ovário normal, mas também pode indicar uma doença, a chamada síndrome dos ovários policísticos.

 

Para entender a diferença entre o exame normal e a síndrome dos ovários policísticos, é importante que o médico analise os sintomas e sinais da doença.

Como é o diagnóstico da síndrome dos ovários policísticos

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é a alteração hormonal mais comum nas mulheres durante o período reprodutivo, ou seja, antes da menopausa, acometendo entre 8 e 13% das mulheres.

 

Para o diagnóstico da síndrome dos ovários policísticos é preciso pelo menos duas das três características descritas abaixo:

 

  • Menstruação irregular ou a falta de menstruação;
  • Sinais de excesso de hormônio masculino detectado clinicamente ou pelos exames de sangue;
  • Ovários de aspecto policístico à ultrassonografia.

Desta forma existem 4 apresentações clínicas diferentes:

 

  1. Excesso de hormônio masculino, alterações menstruais e ovário policístico à ultrassonografia;
  2. Excesso de hormônio masculino e alterações menstruais;
  3. Alterações menstruais e ovário policístico à ultrassonografia. 
  4. Excesso de hormônio masculino e ovário policístico à ultrassonografia;

Ovário policístico e menstruação irregular

Ovários Policísticos e menstruação irregular

 

A menstruação irregular é caracterizada por ciclos menstruais que não seguem o mesmo padrão todos os meses e pode ser diferente de acordo com o período da vida da mulher.

 

É importante destacar que menstruação irregular é considerada normal no primeiro ano após a primeira menstruação, como parte da transição da infância para a adolescência;

 

As definições de menstruação irregular como critério diagnóstico para a síndrome dos ovários policísticos são:

 

  • Entre o primeiro e terceiro ano após a primeira menstruação, se os intervalos forem menores que 21 dias ou maiores que 45 dias;
  • Após três anos da primeira menstruação, se os intervalos forem menores que 21 dias ou maiores que 35 dias, acontecendo mais de oito vezes por ano.
  • Toda vez que ocorrer um atraso menstrual maior que 90 dias.

Ovários policísticos e excesso de hormônio masculino

Os principais sintomas da síndrome dos ovários policísticos relacionados ao excesso de hormônio masculino são:

  • Acne no rosto, peito e parte superior das costas, 
  • Excesso de pelos em uma ou mais áreas do corpo, como no rosto, membros, abdome, entre as mamas ou na aréola;
  • Aumento da oleosidade na pele;

 

Quando se faz os exames de sangue para a dosagem dos hormônios, o exame mais importante é a testosterona total e a testosterona livre.

 

Para a dosagem destes hormônios, o ideal é colher entre o primeiro e quinto dia do ciclo menstrual, na ausência de uso de pílulas ou outro hormônio.

 

É comum realizar a dosagem de outros hormônios masculinos, como o sulfato de dehidroepiandrosterona (SDHEA) e a 17-Hidroxiprogesterona, para afastar a possibilidade de produção excessiva desses outros hormônios masculinos pela glândula suprarrenal.

 

Síndrome dos ovários policísticos

Quanto folículos são necessários para que o ovário tenha o aspeto policístico na ultrassonografia

Os critérios atuais para se definir um ovário como policístico no ultrassom transvaginal são 20 ou mais folículos (“cistos”).

 

É importante destacar que durante os 8 primeiros anos a partir da primeira menstruação, os ovários são de aspecto policístico em praticamente todas as mulheres, não sendo um critério diagnóstico.

 

Outro critério é quando os ovários apresentam dimensões aumentadas, acima de 10 cm³, na ausência de cistos ou folículos periovulatórios.

Ovário policístico no ultrassom sem outros sintomas

Se a mulher apresentar somente os ovários de aspecto policísticos na ultrassonografia e não apresentar nenhum outro sintoma, significa que ela não tem a síndrome dos ovários policísticos.

 

Nesta situação a mulher não tem problema algum e o que é melhor, significa que a quantidade de óvulos que ela tem armazenada em seus ovários é excelente.

 

Como os “cistos” descritos no ultrassom, na verdade são óvulos em estágios iniciais do seu desenvolvimento, quanto maior o número desses “cistos”, maior é a reserva ovariana.

 

O problema acontece quando além de múltiplos cistos nos ovários a mulher apresenta os problemas endócrinos associados e, nesta situação, é que devemos dar o diagnóstico de síndrome dos ovários policísticos.

Obesidade, diabetes e ovário policístico

Ovários Policísticos e obesidade

 

A obesidade e a tendência ao diabetes é algo muito comum nas mulheres com a síndrome dos ovários policísticos, mas não é considerado um critério diagnóstico.

Como deve ser o tratamento para a mulher com a síndrome dos ovários policísticos

O tratamento para a síndrome dos ovários policísticos depende de quais alterações a mulher apresenta em seu diagnóstico.

 

Nas mulheres com obesidade e tendência ao diabetes, a perda de peso, mudanças alimentares e a atividade física pode promover o retorno das menstruações, sendo algo importante no tratamento.

 

Pode-se ainda associar medicações como a metformina, melhorando a resistência insulínica e favorecendo o retorno das menstruações e a ovulação.

Tratamento da síndrome dos ovários policísticos com pílulas anticoncepcionais

anticoncepcional para SOP

 

Quando a mulher não tem desejo reprodutivo imediato, as pílulas anticoncepcionais são os medicamentos de escolha, pois estes hormônios diminuem o nível de hormônio masculino e atenuam os sintomas da acne, excesso de pelo e oleosidade da pele.

 

Nenhum tratamento medicamento atua de forma a curar a paciente da síndrome dos ovários policísticos, desta forma os tratamentos são para o controle dos sintomas.

 

A redução da acne e da oleosidade da pele são perceptíveis mais rapidamente, sendo que em algumas pacientes pode-se associar outras medicações antiandrogênicas sistêmicas e tópicas na pele, para o melhor resultado.

 

O ciclo dos pelos é de pelo menos 6 meses, portanto, em nenhum tratamento medicamentoso notam-se alterações significativas com menos de 6 meses do início do tratamento.

 

É interessante sempre que possível a utilização do laser para um efeito mais imediato nas áreas críticas com excesso de pilificação.

Infertilidade e síndrome dos ovários policísticos

Infertilidade e SOP

 

Pacientes com a síndrome dos ovários policísticos apresentam irregularidade menstrual, portanto não ovulam todos os meses, dificultando a gestação.

 

O tratamento de escolha nestas situações é a indução da ovulação, monitorada com ultrassom, para a realização de um coito programado ou inseminação intrauterina, que são procedimentos de baixa complexidade, relativamente baratos e fáceis de serem realizados.

 

Quando há outras causas de infertilidade associadas, incluindo alterações do espermogramas, recomenda-se procedimentos como a fertilização in vitro.

Síndrome dos ovários policísticos e câncer

Mulheres com a síndrome dos ovários policísticos apresentam maior chance de desenvolvimento de câncer de endométrio, pois a falta de ovulação impede a produção da progesterona, hormônio que combate os efeitos do estrogênio no útero.

 

Porém, quando a falta da menstruação acontece por uso contínuo de pílulas anticoncepcionais, DIU hormonal como o Mirena, Kyleena ou outros hormônios, o risco de câncer de endométrio encontra-se até mesmo reduzido, quando comparado com quem não faz uso destes hormônios.

Prevenção

A síndrome dos ovários policísticos não pode ser evitada. Mas diagnóstico e tratamento precoce ajudam a diminuir os efeitos do excesso do hormônio masculino no organismo, infertilidade, câncer de endométrio, obesidade, diabetes e o desenvolvimento de doenças cardíacas.

 

Médico ginecologista especialista em ovário policístico
Dr. Fernando Guastella

 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a síndrome dos ovários policísticos, conheça o Dr. Fernando Guastella e, se precisar, agende uma consulta.

                                                               kyleena

 

 

Referências bibliográficas

  1. Recomendações FEBRASGO;
  2. Recomendações da diretriz internacional baseada em evidências para a avaliação e tratamento da síndrome dos ovários policísticos. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30033227/;
  3. Alimentação e atividade física em mulheres com síndrome do ovário policístico de acordo com a nova diretriz internacional baseada em evidências. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31717369/;
  4. Associação de metformina com resultados de gravidez em mulheres com síndrome do ovário policístico submetidas a fertilização in vitro: uma revisão sistemática e meta-análise. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32744629/;

Sites em inglês sobre ovário policístico

Mayoclinic;

Womenshealth;

Endocrineweb.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *