Blog

O que é Vaginismo e quais os tratamentos

Vaginismo

Vaginismo

Neste texto vou falar o que é vaginismo, sintomas, diagnóstico, causas, tratamentos, prevenção e a diferença entre e a dor na relação sexual e o vaginismo.

 

Vaginismo

 

O que é vaginismo

Vaginismo é a contração involuntária dos músculos da vagina, o que gera dor na relação sexual, principalmente na entrada da vagina, podendo às vezes impedir a penetração ou a realização de exames ginecológicos.

 

Sintomas de vaginismo

  • Contração involuntária da musculatura da pelve na relação sexual;
  • Dor durante a relação sexual na entrada da vagina;
  • Dificuldade de manipulação da região.

 

Diagnóstico do vaginismo

Não existe exame para diagnóstico de vaginismo

 

A história clínica e o exame físico são suficientes para o diagnóstico do vaginismo, após se descartar outras causas de dor na relação sexual.

 

Algumas doenças como a endometriose, infecções uterinas e outras condições anatômicas, podem determinam dor na relação sexual.

 

Causas do vaginismo

As causas do vaginismo podem ser múltiplas e nem sempre é possível estabelecer o motivo exato.

 

O vaginismo pode ser primário, quando desde a primeira tentativa de penetração a mulher apresentou dor, ou secundário, quando a mulher nunca apresentou este problema anteriormente e em algum momento surge o sintoma.

 

As principais causas do vaginismo são:

  • Medo da dor durante o contato íntimo;
  • Abuso sexual ou testemunho de abuso sexual;
  • Questões religiosas e tabus.
  • Ansiedade e estresse;
  • Depois da menopausa por atrofia genital;
  • Malformações na vagina como o septo vaginal;
  • Trauma relacionado ao parto;
  • Endometriose;
  • Baixa autoestima;
  • Medo de engravidar;

 

Vaginismo

 

Tratamento para vaginismo

O tratamento do vaginismo tem por objetivo fazer com que mulher consiga relaxar a musculatura da vagina e dessensibilizar a questão da dor. 

 

Para este objetivo pode-se empregar uma equipe multidisciplinar, dependendo do motivo que pode ter originado o vaginismo;

 

As principais especialidades que fazer parte do tratamento do vaginismo são a fisioterapia, psicologia e a ginecologia e que devem trabalhar em conjunto de maneira harmônica.

 

A mulher tem papel fundamental no seu tratamento e deve procurar conhecer melhor o seu corpo, aprender a se respeitar e conversar com seu parceiro ou parceira sobre seus limites.

 

Existem exercícios que a mulher pode fazer na sua própria casa, como os exercícios de pompoarismo, que auxiliam o tratamento se realizados de maneira correta.

 

A Ginecologia Integrativa tem por definição o trabalho em equipe e tenho testemunhado que para o vaginismo é um dos mais claros benefícios desta abordagem multidisciplinar.

 

Fisioterapia para o vaginismo

A fisioterapia para o vaginismo tem um papel fundamental.

 

Exitem diferentes técnicas que podem ser empregadas, como as terapias manuais para alongamento dos músculos do assoalho pélvico, biofeedback, termoterapia e exercícios para o assoalho pélvico.

 

Laser e Radiofrequência

O laser e a radiofrequência podem ser utilizados nos casos de atrofia e falta de lubrificação,  devido principalmente a falta de estrogênio nas mulheres no climatério ou na menopausa, com excelentes resultados.

 

Vaginismo tem cura?

O vaginismo tem cura, mas é preciso dedicação, vontade e exige tempo.

 

Algumas mulheres melhoram mais rápido que outras, mas é fundamental sair da zona de conforto e buscar o tratamento.

 

Prevenção

Sempre falo durante as consultas que o cérebro é o órgão mais importante para as relações sexuais.

 

O desenvolvimento da sexualidade é um processo dinâmico e em constante mudança ao longo das nossas vidas.

 

Transtornos sexuais acontecem em qualquer fase da vida e as pessoas precisam entender que existem profissionais que podem ajudar desde situações simples até transtornos mais complexas. 

 

Não deixe que questões simples se transformem em algo mais complexo. Conheça mais o seu corpo, procure tirar as suas dúvidas e lembre-se que o sexo tem que ser algo que te deixe mais feliz.

 

Não existe o jeito certo, existe o que te faz bem. 

 

Dor na relação sexual

A dor na relação sexual na profundidade, também chamada pelos médicos de dispareunia, é sentida quando o pênis, dedo ou qualquer objeto encosta no colo uterino ou no fundo da vagina.

 

A dor na relação sexual na profundidade geralmente tem uma causa que pode ser identificada. 

 

Causas de dor na relação sexual na profundidade

  • Endometriose;
  • Infecção no útero ou trompas (doença inflamatória pélvica);
  • Infecção no colo uterino (cervicite aguda);
  • Infecções vaginais;
  • Mioma;
  • Adenomiose;
  • Cisto de ovário;
  • Síndrome da bexiga dolorosa;
  • Malformações congênitas do útero e vagina;
  • Pouca lubrificação vaginal, como consequência da menopausa, pós-parto ou falta de excitação;
  • Lesão ou trauma causado por parto, acidente ou cirurgia pélvica;
  • Radioterapia para tratamento do câncer de colo uterino.
  • Doença inflamatória intestinal;
  • Síndrome do intestino irritável.

 

Vaginismo

 

Consulta ginecológica.

Na consulta ginecológica para vaginismo inicialmente é fundamental uma história clínica detalhada sobre todos os aspectos da vida da mulher.

 

A realização de um exame físico ginecológico atencioso e um exame de ultrassom transvaginal com preparo intestinal.

 

Caso seja necessários outros exames deverão ser solicitados, na dependência de cada situação.

 

O tratamento empregado será multidisciplinar e a mulher tem que se sentir bem ao realiza-lo.

 

Mudança no tratamento poderá acontecer, sempre que o resultado esperado não foi alcançado ou a mulher não se sente bem com o que foi proposto.

 

Procure inicialmente um ginecologista se você tem dor na relação sexual ou vaginismo.

 

Você não precisa sentir dor!

 

Texto publicado por Dr. Fernando Guastella, CRM 112.601 SP

 

Você sabe o que é Ginecologia Integrativa?

 

Saiba mais:

Endometriose: cirurgia de endometriose, cólica menstrual, tratamento hormonal, tratamentos alternativos, ressonância magnética, sintomas.

Alimentação: carboidratos, fibras e gorduras.

Ultrassom: tireoide, mamas, abdome, transvaginal, carótidas.

Corrimento vaginal

 

Para saber mais acesse o BLOG, ou deixe sua pergunta nos comentários.

 

Referências Bibliográficas

  1. Resultado de intervenções médicas e psicossexuais para o vaginismo: uma revisão sistemática e metanálise. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30446469;
  2. Intervenções para o vaginismo. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23235583/;
  3. Diagnosticando e tratando o vaginismo. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19541697/.
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *