fbpx

Blog

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Endometriose profunda

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

O ultrassom transvaginal com preparo intestinal, é o exame de escolha para o diagnóstico e estadiamento da endometriose.

 

Diversos artigos científicos têm demonstrado que o exame possui uma capacidade diagnóstica (sensibilidade) entre 95-100% e deve ser o exame inicial na mulher com sintomas de endometriose.

 

O exame também é chamado de ultrassonografia transvaginal especializada para endometriose, ou ainda ultrassonografia transvaginal para mapeamento pélvico da endometriose.

Neste texto vou explicar os critérios de qualidade para o exame, alimentação, medicações na véspera e outras dúvidas frequentes.

 

ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal mostrando a estratificação de uma alça intestinal normal.

O que o ultrassom transvaginal com preparo intestinal avalia

A ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal avalia todas as formas de endometriose, além das doenças que um exame transvaginal sem preparo intestinal, como mioma, adenomiose, pólipo endometrial, ovário policístico e hidrossalpinge.

 

O médico que realiza o ultrassom transvaginal para mapeamento pélvico da endometriose é um especialista em ultrassom transvaginal e todas as doenças ginecológicas geralmente são bem avaliadas e descritas.

 

A ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal, portanto, tem o objetivo de identificar as doenças do útero e ovário e diagnosticar todos os focos de endometriose, seja para o planejamento da cirurgia, do tratamento hormonal ou dos tratamentos alternativos.

Fatores de qualidade do ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Para que o ultrassom transvaginal com preparo intestinal tenha uma excelente performance para o diagnóstico da endometriose, é preciso que três fatores estejam presentes:

  • Capacitação do médico que realiza o exame;
  • Protocolo de exame adequado;
  • Equipamento de alta resolução.

 

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Desenho esquemático realizado nos laudos de ultrassom transvaginal com preparo intestinal. Este tipo de informação visual auxilia a paciente a entender a sua doença. No desenho a endometriose está assinalada em cor preta no ovário direito e ligamento uterossacro direito.

Capacitação do médico para realização do exame

Atualmente no Brasil existe um único programa de pós-graduação lat0 senso em ultrassonografia transvaginal para pesquisa de endometriose, que acontece no CETRUS, sob a minha coordenação.

 

Percebi ao longo dos anos que a curva de aprendizado para atingir a excelência na realização do exame transvaginal com preparo intestinal é longa e requer muita dedicação, sendo considerada uma especialidade dentro da ultrassonografia.

 

Antes de agendar o exame, certifique-se da formação do médico executante. Este é o principal fator na qualidade de um exame transvaginal para pesquisa de endometriose.

 

Endometriose ovariana

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal demonstrando um endometrioma no ovário direito.

Como é o ultrassom transvaginal com preparo intestinal

O exame deve ser realizado pela via transvaginal e abdominal.

 

Quanto mais completo é o protocolo, mais lesões de endometriose são diagnosticadas durante um exame.

 

Exames realizados somente pela via transvaginal são insuficientes para o diagnóstico completo de todos os focos de endometriose.

 

via transvaginal diagnostica as lesões de endometriose mais comuns, como as localizadas na região retrocervical, ligamento uterossacro, intestino, vagina e bexiga.

 

A via abdominal detecta lesões de endometriose em locais menos comuns, mas não por isso menos importantes, como as lesões no diafragma, ceco, apêndice, parede abdominal (cicatriz da cesárea), região umbilical e sigmoide.

O exame deve avaliar as seguintes estruturas:

  1. Septo retovaginal, reto e sigmoide;
  2. Região retrocervical e ligamentos uterossacros;.
  3. Avaliação do útero, ovários, pesquisa de aderência e identificação de áreas dolorosas;
  4. Estudo do ceco, apêndice e íleo pela via transvaginal;
  5. Compartimento anterior incluindo a bexiga, recesso vesicouterino, ureteres e ligamentos redondos);
  6. Avaliação da vagina
  7. Avaliação pelo abdome dos rins, diafragma, ceco, apêndice, íleo, sigmoide, parede abdominal, região umbilical e nervo ciático.

 

endometriose na cicatriz da cesárea

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal evidenciando uma lesão de endometriose na cicatriz da cesárea. Endometriose detectada pela via abdominal.

 

Equipamento de alta resolução

A melhora na resolução das imagens nos equipamentos de ultrassonografia é algo marcante ao longo dos anos, sendo que os equipamentos de alta resolução permitem o diagnóstico de pequenos focos de endometriose com muita nitidez e fazem a diferença em muitos casos.

Orientações para o ultrassom transvaginal com preparo intestinal

  • Trazer exames anteriores, inclusive os de sangue (CA125), ultrassom transvaginal, ressonância magnética e relatórios de cirurgias prévias.
  • Chegar no consultório com 15 minutos de antecedência do horário agendado para finalizar o preparo intestinal.

Alimentação na véspera do Exame

  • Dê preferência para uma dieta líquida ou uma dieta leve. Evite feijão, lentilha, grão de bico e outros alimentos que você sabe que pode determinar gases em você.
  • Sugestões: peixe, ovo poche, peito de frango cozido, arroz branco, cenoura, chuchu ou batata cozida e amassada, gelatina, torradas, suco de frutas coado em peneira fina e água de coco.
  • Caso o exame esteja agendado no período da tarde. Tome café da manhã. É preciso um jejum de apenas 4 horas para o exame.

Preparo intestinal

O melhor laxante para o exame é o macrogol 3350, um laxante osmótico, que não causa cólica, não é absorvido pelo organismo e tem poucos efeitos colaterais.

 

Um dos nomes comerciais da substância é Muvinlax® 

Medicações na véspera do exame.

  • Tomar cinco envelopes do macrogol 3350, diluídos em 600 ml de água às 8h00;
  • Tomar mais cinco envelopes do macrogol 3350, diluídos em 600 ml de água às 1400.

No dia do Exame

  • Jejum de pelo menos 4 horas;
  • Hidrate-se bastante na véspera do exame e antes do exame. A água não entra jejum deste exame. 
  • Será aplicado um frasco de phosphoenema pela via retal imediatamente antes do exame, para finalizar o preparo intestinal.

 

Importante: os laxantes ingeridos na véspera do exame podem não causar evacuações. 

 

O preparo no dia do exame com o phosphoenema irá acontecer da mesma forma, independentemente de evacuações na véspera, pois é a parte mais importante do preparo intestinal.

Medicações alternativas caso você não encontre o Muvinlax® para tomar na véspera do exame.

  • Bisacodil – 5 mg (Dulcolax®)
    • Tomar 2 comprimidos às 08:00 e 2 comprimidos às 14:00;
  • Picossulfato de sódio – gotas (Guttalax®)
    • Tomar 20 gotas às 08:00 e 20 gotas às 14:00.

 

Estas duas medicações podem causar dor abdominal do tipo cólica, às vezes de forte intensidade, motivo pelo qual o preparo com Muvinlax® é  mais aconselhável.

 

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Exame de ultrassom transvaginal com preparo intestinal. Identifica-se endometriose profunda localizada no ligamento útero-sacro direito que encontra-se espessado. As setas brancas assinalam a endometriose.

Qual exame é melhor? Ressonância magnética ou ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Os dois exames podem ser utilizados na avaliação da mulher com suspeita de endometriose.

 

A vantagem do ultrassom transvaginal com preparo intestinal é a melhor identificação das lesões de endometriose de pequenas dimensões, endometriose no intestino e no diagnóstico de aderências, por ser um método dinâmico.

 

A vantagem da ressonância magnética é na avaliação de pequenos endometriomas, mulheres com útero de grandes dimensões e na avaliação da endometriose no diafragma.

 

O primeiro exame para ser realizado é a ultrassonografia para pesquisa de endometriose e, se houver necessidade, a ressonância será solicitada.

 

ultrassom especializado pra pesquisa de endometriose

Imagem de ultrassom transvaginal com preparo intestinal, evidenciando endometriose no apêndice.

Dúvidas frequentes

O ultrassom transvaginal com preparo intestinal dói?

O ultrassom transvaginal com preparo intestinal é um exame muito mais demorado que um ultrassom transvaginal simples, e por estes motivo, acaba incomodando mais.

 

O exame com preparo intestinal não dói mais que o ultrassom transvaginal simples.

O exame é feito pelo convênio?

O exame é realizado somente de forma particular. Se você tem direito a reembolso, avalie esta possibilidade com as secretárias.

 

Para saber sobre o valor do exame, entrar em contato com o consultório.

 

Especialista em ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o ultrassom transvaginal com preparo intestinal, conheça o Dr. Fernando Guastella, médico ginecologista especialista no diagnóstico e tratamento da endometriose e  agende uma consulta ou exame. 

Entre em Contato

kyleena 

Deixe sua pergunta nos comentários.

 

Saiba mais:

Ultrassom: tireoide, mamas, abdome, carótidas.

Saúde: rejuvenescimento íntimo, corrimento vaginal, laser, pompoarismo, vaginismo,

 

Referências bibliográficas

  1. Acurácia do ultrassom transvaginal versus ressonância magnética no diagnóstico da endometriose retossigmóide: revisão sistemática e metanálise. https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0214842;
  2. Acurácia do Ultrassom Transvaginal para Diagnóstico de Endometriose Profunda no Retossigmoide: Revisão Sistemática e Meta-Análise. https://obgyn.onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/uog.15662;
  3. Abordagem sistemática da avaliação ultrassonográfica da pelve em mulheres com suspeita de endometriose, incluindo termos, definições e medidas: uma opinião de consenso do grupo International de Analise da Endometriose Profunda (IDEA). https://obgyn.onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/uog.15955
  4. Diagnóstico por ultrassom de endometriose e adenomiose: estado da arte. https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1521693418300312?via%3Dihub;
  5. Ultrassonografia para Endometriose Profunda Infiltrativa e Ovariana. https://www.thieme-connect.com/products/ejournals/abstract/10.1055/s-0036-1597127;
  6. Ultrassom transvaginal versus ressonância magnética para diagnóstico de endometriose profunda infiltrativa profunda: revisão sistemática e metanálise. https://obgyn.onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/uog.18961;
  7. Recomendações para ultrassonografia em ginecologia. Sociedade Internacional de Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia. https://www.isuog.org/.
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *