Blog

Miomectomia: tipos de cirurgia e recuperação

Ginecologista Especialista em Miomectomia

Este texto explica o que é miomectomia, indicações, tipos de cirurgia e como é a recuperação.

O que é miomectomia

Miomectomia é uma cirurgia para a retirada dos miomas uterinos, preservando o útero.


O sucesso de uma miomectomia é a retirada de todos os miomas uterinos, ou de todos os miomas possíveis de serem retirados, preservando a capacidade de gestar.

Existem quatro formas para a realização da cirurgia:

  • Miomectomia abdominal;
  • Miomectomia laparoscópica;
  • Miomectomia robótica;
  • Miomectomia por histeroscopia.

Indicações para miomectomia

A miomectomia é indicada quando o mioma determinar sintomas, como sangramento aumentado, cólica menstrual, dor abdominal,  infertilidade, aumento do volume abdominal e sintomas compressivos na bexiga ou intestino.


Miomas são tumores benignos muito comuns. Entre 60% e 80% das mulheres com 50 anos, identifica-se pelo menos um mioma e em cerca de 25% das vezes o mioma determina sintomas.


Quanto maior o tamanho dos miomas e quando o mioma é submucoso, maior a chance do surgimento dos sintomas.


A miomectomia não é indicada para miomas que não determinam sintomas

Miomectomia abdominal

A miomectomia abdominal também pode ser chamada de aberta ou por laparotomia.


É realizada por meio de um corte no abdome, na grande maioria das vezes semelhante ao da cesárea.


Indicada principalmente para mulheres com muitos miomas, especialmente de grandes dimensões e em úteros muito volumosos, na qual a cirurgia minimamente invasiva pode ser não ser indicada.


É a técnica que permite a remoção do maior número de miomas, pois as suturas, ou seja, os pontos no útero, após a remoção dos miomas são rapidamente realizados, fazendo com que a perda sanguínea seja menor em comparação com as outras técnicas.


A perda sanguínea é um dos principais pontos na miomectomia para o sucesso da cirurgia.


Atualmente é uma técnica menos utilizada, devido ao avanço da cirurgia minimamente invasiva, como a miomectomia laparoscópica, robótica e da radiofrequência.

 

cirurgia para mioma

 

Miomectomia laparoscópica

A miomectomia laparoscópica é uma técnica em que se realizada pequenas incisões no abdome, entre 5 e 12 mm, por onde é colocada a câmera e as pinças para a realização da cirurgia.


É uma técnica aplicável para a maioria das miomectomias.


Os miomas são retirados ou por um corte realizado no fundo da vagina, abaixo do útero, ou colocamos os miomas dentro de uma bolsa plástica e, com um equipamento especial chamado morcelador, fragmentamos e aspiramos os miomas, sem a necessidade de cortes.

 

miomectomia laparoscópica

Miomectomia robótica

A miomectomia robótica é uma técnica mais recente, na qual a cirurgia é realizada por incisões no abdome semelhante às da laparoscopia, porém com algumas outras vantagens.


A facilidade e a velocidade para a realização das suturas no útero são maiores quando comparadas com a laparoscopia, fato muito importante nas miomectomias, especialmente quando existem múltiplos miomas para serem retirados.


A câmera do robô permite ao cirurgião uma imagem 3D durante todo o procedimento, a câmera é mais estável, as pinças extremamente precisas e o cirurgião opera em uma posição mais ergonômica.


Quando a cirurgia minimamente invasiva é indicada, a minha preferência pessoal é a realização da miomectomia por via robótica, mas os resultados da literatura são relativamente semelhantes, quando comparado com a laparoscopia.


Os benefícios da cirurgia robótica ficam mais claros quanto maior a complexidade da cirurgia que está sendo realizada.

 

miomectomia robótica

Miomectomia por histeroscopia

A miomectomia por histeroscopia é realizada por meio de um equipamento chamado ressectoscópio, colocado através do colo uterino. Não há cortes nem cicatrizes.


O mioma é fragmentado e retirado em pequenos pedaços pela vagina.


A alta hospitalar é realizada no mesmo dia da cirurgia e o retorno para as atividades habituais é praticamente imediata.

Como é a recuperação

Nas cirurgias minimamente invasivas e na miomectomia abdominal a alta hospitalar é realizada habitualmente no dia seguinte à cirurgia.


A dor pós-operatória é menor na cirurgia minimamente invasiva quando comparada com a miomectomia abdominal.


A recuperação na cirurgia minimamente invasiva acontece entre 7-14 dias enquanto na miomectomia abdominal a recuperação pode chegar a 30-45 dias.

Qual é a melhor técnica para a realização da miomectomia

Sempre que possível o mioma submucoso deve ser retirado por histeroscopia.


Se os miomas não forem passíveis de serem retirados por histeroscopia, deve-se dar preferência para as cirurgias minimamente invasivas, como a cirurgia robótica e a laparoscopia.


A miomectomia abdominal deve ficar reservada para as situações de exceção, como úteros muito volumosos e com múltiplos miomas.


É importante destacar que é possível na mesma cirurgia realizar procedimentos combinados, como uma miomectomia histeroscópica para o mioma submucoso e para os demais miomas cirurgia por laparoscopia, robótica ou aberta.

Como aumentar o sucesso da cirurgia

Antes de realizar a cirurgia, corrigir a anemia interrompendo a menstruação e suplementando ferro em dose máxima, seja pela via oral, ou pela via endovenosa.


Sempre que a suplementação de ferro acontecer pela via oral, faça a ingestão juntamente com sucos ácidos, pois isso melhora a absorção.


Algumas vezes deve-se induzir por meio de medicação, uma menopausa transitória, para diminuir o tamanho do útero e dos miomas.


Esta medida também diminui o sangramento durante a cirurgia, além de permitir o tratamento mais efetivo da anemia.


Sempre que possível utilizar medicações que diminuem o sangramento durante a miomectomia, como o misoprostol e a vasopressina, esta última injetada diretamente nos miomas, durante da cirurgia.


Outra forma efetiva de diminuir o sangramento durante a cirurgia é a ligadura transitória das artérias uterinas com um clip, antes de começar os cortes no útero para a retirada dos miomas.


Após o final da cirurgia o clip é retirado e o útero volta a ter a irrigação sanguínea habitual.

 

A histerectomia é muito rara de acontecer quando se realizada uma miomectomia, mas é importante citar como possível complicação, quando a hemorragia estiver fora do controle e a paciente estiver em risco de morte.

 

Os cuidados antes da cirurgia, durante a cirurgia e no pós-operatório, devem seguir as recomendações do Protocolo ERAS. Otimização da Recuperação Pós-operatória (ERAS na sigla em inglês).

 

Ginecologista especialista em Miomectomia

Agora que você já sabe um pouco sobre miomectomia, agende uma consulta.

 

                                                      kyleena

Referências bibliográficas

  1. Técnicas cirúrgicas minimamente invasivas versus miomectomia aberta para miomas uterinos.  https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD004638.pub3/full;
  2. Misoprostol para miomectomia aberta: uma revisão sistemática e meta-análise de ensaios clínicos randomizados. https://obgyn.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1471-0528.16389;
  3. Pré-tratamento com GnRHa ou acetato de ulipristal antes da miomectomia laparoscópica e laparotômica: uma revisão sistemática e meta-análise. https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0186158;
  4. Uso de misoprostol na miomectomia: uma revisão sistemática e meta-análise. https://link.springer.com/article/10.1007/s00404-015-3779-x;

Outros sites em inglês sobre o tema

Mayoclinic;
Healthline;
Ucsfhealth.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *