Blog

Endometriose no intestino: dos sintomas ao tratamento

Endometriose Intestinal

Endometriose no intestino: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

A endometriose no intestino é o segundo tipo mais comum da endometriose profunda.

 

A definição de endometriose no intestino é quando a doença atinge a camada muscular de uma alça intestinal.

 

A maior parte das vezes a endometriose intestinal está associada a outros focos de endometriose na pelve, especialmente atrás do colo uterino, nas regiões paracervicais e no ligamento útero sacro.

 

Sintomas da Endometriose no intestino

 

Caso seja identificada uma aderência entre o intestino e um foco de endometriose, mas a camada muscular do intestino não esteja espessada, a doença é considerada um foco de endometriose superficial.

 

O local mais comum da endometriose profunda é atrás do colo uterino e o segundo lugar mais comum é o intestino.

Distribuição das lesões

Os locais mais comuns da endometriose no intestino são:

  1. Reto 67%;
  2. Sigmoide 18%;
  3. Apêndice 6%;
  4. Íleo 5%;
  5. Ceco 4%;

Sintomas

Os sintomas da endometriose intestinal são:

  • Dor para evacuar no período menstrual;
  • Diarreia ou constipação no período menstrual;
  • Sensação de evacuação incompleta.

Estes três sintomas acima estão associados a endometriose no intestino grosso, ou seja, o reto e o sigmoide.

 

Quase sempre a mulher com endometriose intestinal apresenta outros focos de endometriose na pelve e, portanto, outros sintomas estão associados, sendo os principais:

  • Cólica no período menstrual;
  • Dor na relação sexual;
  • Infertilidade;
  • Distensão abdominal;
  • Fadiga crônica.

Endometriose no reto e sigmoide

O reto é a parte final do intestino e quando a lesões distam entre 3 e 15 cm da borda anal consideramos que a doença está localizada no reto.

 

Quando a doença dista entre 15 e 18 cm da borda anal, está localizada no retossigmoide e se acima de 18 cm, no sigmoide.

Endometriose no íleo

A endometriose no íleo não é comum e geralmente está associada a outros focos no reto ou sigmoide.

 

Os sintomas da endometriose no íleo são dor abdominal, náuseas, vômitos e parada de eliminação de gases e fezes no período menstrual, ou seja, são sintomas de obstrução intestinal cíclica.

Endometriose no apêndice

A endometriose no apêndice geralmente não determina sintoma, mas a sua importância está no fato da lesão poder corresponder a um tumor.

 

O tumor mais comum do apêndice é o tumor carcinoide e não é possível diferenciar a endometriose no apêndice pelo ultrassom transvaginal ou ressonância magnética de um tumor carcinoide.

 

Por este motivo, todas as vezes que a mulher apresenta uma lesão de endometriose no apêndice, é realizada a cirurgia.

Como diagnosticar a endometriose intestinal

Existem três exames para diagnosticar a endometriose intestinal

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

O ultrassom transvaginal com preparo intestinal é o melhor exame para diagnosticar a endometriose no intestino.

 

O movimento das alças intestinais é chamado de peristaltismo, o que não influencia o exame de ultrassonografia transvaginal, porém gera artefatos na imagem na ressonância magnética que dificultam a interpretação do exame.

 

Outras vantagens da ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal é a maior resolução das camadas do intestino, fundamental para definição do tipo de cirurgia que será realizada e a capacidade de identificar aderências, por ser um exame dinâmico.

Ressonância magnética da pelve

A ressonância magnética é um ótimo exame para o diagnóstico da endometriose profunda, incluindo as lesões de endometriose intestinal.

 

A dificuldade da ressonância magnética é para a endometriose no intestino de pequenas dimensões, que podem não ser detectadas, ou ainda, um artefato de movimento pode ser erroneamente ser identificado como uma lesão intestinal.

 

Toda lesão de endometriose intestinal pequena, identificada na ressonância magnética, precisa de uma confirmação por um exame de ultrassom transvaginal com preparo intestinal.

Ecocolonoscopia para endometriose

A ecocolonoscopia é um exame que utiliza ultrassom e é realizado pelo intestino. O equipamento é diferente do ultrassom transvaginal.

 

Pode ser utilizada com grande acurácia para o diagnóstico da endometriose no reto e no sigmoide, porem este exame não consegue detectar todos os outros focos de endometriose na pelve, e por este motivo, não é um exame frequentemente solicitado.

Endometriose intestinal e colonoscopia.

A colonoscopia não faz diagnóstico de endometriose no intestino, pois a doença não está localizada na luz intestinal. A endometriose fica do lado de fora, na camada muscular.

 

O exame acaba sendo solicitado no pré-operatório de uma cirurgia de endometriose intestinal para descartar qualquer possibilidade de outra doença no intestino, como por exemplo um tumor.

Tratamento da endometriose intestinal

Para o tratamento da endometriose intestinal deve-se levar em consideração os seguintes aspectos:

  • Intensidade dos sintomas;
  • Desejo reprodutivo imediato e futuro;
  • Localização e grau de estadiamento;
  • Satisfação e opinião da paciente com o tratamento escolhido e durante o acompanhamento (como a mulher se sente ao longo do tratamento).

Endometriose no intestino

 

Todas as opções de tratamento devem ser levadas em consideração e explicadas à mulher, incluindo o tratamento hormonal, procedimentos de fertilização e tratamentos alternativos.

Tipos de cirurgia

Caso a cirurgia tenha sido indicada, três abordagens podem ser realizadas:

  • Raspagem (shaving);
  • Ressecção em disco;
  • Retirada de um segmento do intestino.

Raspagem (shaving)

O shaving é utilizado nas lesões de endometriose no intestino que acometem somente a parte mais externa da musculatura e, desta forma, é possível evitar a retirada de um segmento intestinal.

Ressecção em disco

A ressecção em disco ou ressecção discoide deve ser utilizada para lesões de endometriose intestinal menores que 3 cm, que acometem a musculatura da alça e a camada submucosa.

Retirada de um segmento do intestino

A retirada de um segmento do intestino ou ressecção segmentar, deve ser realizada para lesões de endometriose no intestino maiores que 3 cm, que determinam acometimento da musculatura e da camada submucosa.

 

Sempre que possível a cirurgia intestinal deve priorizar as técnicas menos agressivas e o que cirurgião tenha experiência com as diferentes técnicas cirúrgicas.

Endometriose intestinal e gravidez

Endometriose e gravidez é um questionamento frequente no consultório.

Evidências científicas demonstram que mulheres com endometriose apresentam um risco maior para parto prematuro, bebê pequeno, abortamento e placenta baixa.

Embora estes riscos sejam aumentados é importante destacar que o mais provável é que tudo dê certo.

Endometriose infertilidade

A associação entre endometriose no intestino e infertilidade é alta. 

 

A infertilidade tem relação principalmente com dois fatores:

  • Obstrução das trompas pelos focos de endometriose;
  • Processo inflamatório crônico promovido pela endometriose na pelve, dificultando a implantação do bebê.

A mulher com endometriose no intestino e infertilidade tem opções:

  • Realizar a cirurgia e depois tentar engravidar espontaneamente;
  • Realizar um tratamento de fertilização in vitro e não operar.

Endometriose intestinal e infertilidade

 

Não existe uma escolha certa, a decisão tem que ser do casal, após receberem orientações dos prós e contras. 

 

Vou colocar alguns fatores a favor e outros contra a cirurgia de endometriose.

 

Cirurgia de endometriose antes da FIV

  • Resolução dos sintomas dolorosos;
  • Possibilidade de engravidar espontaneamente após a cirurgia;
  • Pacientes que não aceitam engravidar por procedimentos de FIV;
  • Pacientes que já fizeram FIV e não conseguiram engravidar.

FIV como primeira opção:

  • Mulheres sem sintomas dolorosos a FIV trata a infertilidade, já que mulheres sem sintomas não devem ser operadas;
  • Pacientes bem controladas clinicamente com hormônios, após a gestação poderão retomar as medicações, sem a necessidade de cirurgia.
  • Possibilidade de não engravidar espontaneamente após a cirurgia e atrasar a gestação por FIV.
  • Diminuição da reserva ovariana em decorrência da cirurgia.

Nas cirurgias de endometriose no intestino, uma equipe multidisciplinar treinada é imprescindível, incluindo ginecologistas e cirurgiões do aparelho digestivo.

 

Agora que já sabe um pouco sobre endometriose intestinal, agende uma consulta com o Dr. Fernando Guastella e tire todas as suas dúvidas.

                                                 kyleena

 

médico especialista em endometriose no intestino
Dr. Fernando Guastella, ginecologista pela USP e especialista em endometriose.

 

Você sabe o que é ginecologia integrativa?

 

Deixe seu comentário.

 

Saiba Mais

Endometriose: especialista em endometriose, adenomiose.

Ultrassom: tireoidemamasabdomecarótidas.

Saúde: corrimentolaser, carboidratosfibrasgorduraspompoarismovaginismocoronavírus e gravidez

 

Referências bibliográficas

  1. Diretriz ESHRE: Manejo de Mulheres com Endometriose. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24435778/;
  2. Cirurgia versus terapia hormonal para endometriose profunda: é uma escolha do médico? https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27544308/;
  3. Acurácia da ultrassonografia transvaginal versus ressonância magnética no diagnóstico da endometriose no retossigmóide: revisão sistemática e metanálise. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30964888.
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *