Blog

Ginecologista Especialista em Adenomiose

médico especialista em Adenomiose

Neste texto o Dr. Fernando Guastella, ginecologista especialista em adenomiose, explica os conceitos fundamentais que devem ser aplicados para tratamento da adenomiose

O que é Adenomiose

adenomiose é uma doença em que as células do endométrio invadem a musculatura do útero.

 

A prevalência de adenomiose varia entre 30 e 60% das mulheres durante o período reprodutivo, ou seja, é uma doença muito comum.

 

Mulheres com adenomiose apresentam mais chance de apresentarem endometriose, desta forma, exames especializados devem ser sempre solicitados para investigação de ambas as doenças. 

Sintomas da adenomiose

A adenomiose não determina sintomas em cerca de 30% das mulheres. Os sintomas dependem do tipo de adenomiose e da intensidade da doença.

 

Os principais sintomas das mulheres com adenomiose são:

  • Sangramento aumentado;
  • Cólica menstrual;
  • Útero de dimensões aumentadas;
  • Dor durante as relações sexuais na profundidade;
  • Infertilidade;
  • Distensão abdominal.

Tipos de adenomiose

A adenomiose pode ser classificada em difusa ou focal.

 

A forma difusa acomete todo o útero e a forma focal somente uma parte do útero.

 

A importância na definição do tipo de adenomiose é em decorrência do tratamento, pois a adenomiose focal e o adenomioma podem ser retirados cirurgicamente ou tratados por radiofrequência, de maneira semelhante ao mioma.

 

Adenomioma é um tipo específico de adenomiose focal, na forma de um nódulo, porém com glândulas endometriais em seu interior.

 

Outra maneira de classificar a adenomiose é em relação a profundidade de invasão no miométrio. Quando a invasão é menor que um terço da parede uterina é chamada de superficial e, quando maior que um terço, é chamada de adenomiose profunda.

Fatores de risco e causas da adenomiose.

Os fatores de risco para adenomiose são cirurgias prévias no útero, como a retirada de mioma (miomectomias), curetagens, cesáreas, ou ainda malformações congênitas do útero.

 

Na maior parte das mulheres, porém, não se identifica uma causa definida e fatores genéticos também são importantes, existindo uma tendência familiar para a doença.

Diagnóstico da adenomiose

A adenomiose pode ser diagnosticada pelo ultrassom transvaginal ou pela ressonância magnética.

 

Embora a adenomiose frequentemente determine aumento das dimensões uterinas, nem sempre este achado está presente, especialmente nas formas mais iniciais da doença.

 

O ultrassom com preparo intestinal realizado para o exame de endometriose não precisa ser realizado, embora seja interessante, pela associação da doença com a endometriose.

 

O CA-125 é um exame de sangue que pode estar aumentado nas mulheres com adenomiose, mas valores normais não excluem a doença.

 

A dosagem do CA 125 isolada não traz informações importantes, pois este exame pode estar aumentado em diversas situações, como na endometriose, miomas, infecções uterinas, câncer de ovário e algumas vezes não se identifica um motivo para este aumento.

Por que procurar um ginecologista especialista em adenomiose?

O tratamento inicial da adenomiose deve ser sempre clínico, mas nas falhas do tratamento clínico estão indicados os procedimentos cirúrgicos.

 

O médico especialista em adenomiose deve ter formação em ginecologia e ser especialista em procedimentos minimamente invasivos, como a histeroscopia, laparoscopia, cirurgia robótica e radiofrequência.

 

O especialista poderá discutir todas as opções de tratamento minimamente invasivos, pois o melhor tratamento é aquele que você participa da escolha, após saber as vantagens e desvantagens de cada tipo de abordagem.

Principais medicações utilizadas no tratamento clínico da endometriose

  • Progestágenos de uso contínuo por via via oral como dienogeste e o desogestrel;
  • DIU Mirena® e DIU Kyleena®;
  • Implante hormonal como o implanon®;
  • Implante de gestrinona;
  • Pílula anticoncepcional;
  • Antifibrinolíticos;
  • Antinflamatórios;
  • Orientação nutricional e reposição de ferro e vitaminas.

 

Para a escolha da medicação é fundamental uma ampla explicação do especialista em mioma sobre o mecanismo de ação, os benefícios e efeitos colaterais de cada medicação, para que a paciente escolha o medicamento junto com o ginecologista.

 

A opinião da paciente é fundamental, pois os tratamentos serão de longo prazo.

Principais opções cirúrgicas no tratamento da adenomiose

 

Médicos ginecologista especialista em adenomiose

Dr. Fernando Guastella é ginecologista pela USP, especialista no tratamento clínico e em cirurgias minimamente invasivas.

                                                        kyleena

 

Referências bibliográficas

  1. Adenomiose uterina: patogênese, diagnóstico, sintomatologia e tratamento. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31324117/
  2. Uma revisão crítica dos avanços recentes no diagnóstico, classificação e tratamento da adenomiose uterina. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31192829/
  3. Avanços recentes na compreensão e tratamento da adenomiose. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30918629/
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Cuide-se.
Tire todas as
suas dúvidas.

18 Comentários “Ginecologista Especialista em Adenomiose

  1. TENHO 31 ANOS SOU MÃE DE 2 FILHOS ANO PASSADO TIVE UMA ABORTO RETIDO E PRECISEI FAZER CURETAGEM ,DESDE ENTÃO SINTO MUITAS COLICAS E NÃO CONSIGO ENGRAVIDA DESDE LA , FIZ UMA RESSONANCIA DA PELVE E DEU QUE TENHO ADENOMIOSE SUPERFICIAL MAIS EU NÃO TINHA ISSO ,AGORA TO DESSESPERADA AINDA QUERO SER MAE NOVAMENTE E TO PERDIDA SEM SABER SE AINDA VOU PODER SER .

    1. Existem muitas opções de tratamento para adenomiose. Tente agendar uma consulta, pois tem muito o que conversar, pesquisar e explicar e o tratamento não igual para todas as mulheres. 😉

  2. Meu nome é Ana tenho ademiose há 2 anos passei tomar vários anticocepicionais até então estou tomando noretisterona sofro dor nas pernas ,pois trabalho em pé ,depois passei tomar anticocepicional sofro dor,muita dor.

  3. Meu nome é Alexsandra, moro no interior da Bahia! Sonho em ser mãe e descobrir a 1 ano que tenho adenomiose, graças a Deus não sinto dor. eu ovulo normalmente porém nunca engravidei! O senhor pode me ajudar a realizar meu sonho. Tenho 26 anos e preciso muito de ajudar de um especialista.

    1. Acho muito importante rever o seu caso. Adenomiose não surge na menopausa. Ou a Sra. sempre teve adenomiose, ou deve ser outro diagnóstico que deve ser investigado. Tente agendar uma consulta.

  4. Eu gostaria de uma luz, pois tenho varizes pélvicas, endometriose e agora descobri que tenho adenomiose, para melhoria a única opção é retirar o meu útero?

    1. A decisão do tratamento envolve intensidade dos sintomas, resposta aos tratamentos, idade, desejo reprodutivo…entre outros. Tente agendar uma consulta para discutir os detalhes do seu caso. O melhor tratamento envolve enxergar a pessoa e não somente o exame.

  5. Olá! Por gentileza se poder dar a sua opinião 🙏
    Desde quando começou meu ciclo mestrual, sinto muita cólicas, dores… Ja fui em vários médicos, fiz Ressonância Magnética, vários Ultrassonografia Transvaginal, Histeroscopia, fui diagnosticada com adenomiose. Tenho 40 anos, por opção eu e meu esposo não queremos filhos… Faz 1 ano e dois meses que estou com DIU mirena, mas estou sentindo muito os efeitos colaterais. A próxima etapa é retirar o útero? Ou existe algum outro tratamento? Se poder me responder lhe agradeço, obrigada.

    1. Primeiro ponto é entender o motivo da dor. Existem outros diagnósticos que devem ser considerados além da adenomiose. Agende uma consulta para entrarmos em detalhes sobre o seu caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *